Como você recruta os professores da sua academia?

recrutamento-e-selecaoTurnover ou rotatividade de pessoal pode ser definido como a relação entre admissões e demissões dentro de uma empresa. Ele pode se tornar um problema a partir do momento que não permite a criação de uma identidade da sua empresa, do ponto de vista da equipe que atende seus clientes.

Além disso, existe o custo financeiro de trocar de funcionário a todo momento: pagamento dos direitos trabalhistas, contratação de novos funcionários, novos uniformes, treinamento, perda de produtividade (uma aula que fica sem professor, avaliações que não são feitas). Sem contar a percepção do cliente que pode enxergar nisso um problema na própria administração da academia.

Como contratar bem um funcionário

Existe uma máxima no mundo dos negócios que fala sobre maus funcionários: “ou você contratou mal, ou treinou mal, ou está demorando para mandar embora”. O problema maior, então, está na contratação! Na maioria das vezes, as academias contratam seus profissionais por suas competências técnicas, mas os demitem por causa de problemas interpessoais. E aí está o xis da questão: quando se contrata pelas competências técnicas – que podem nem ser tão “técnicas” assim, ou você pede comprovação de cada curso que o profissional realizou? – não se atenta para comportamentos que podem ser problemáticos no futuro. Que tal uma contratação baseada nas competências pessoais de cada candidato? Existem técnicas que ajudam a predizer o comportamento de cada pessoa em determinada situação e isso pode minimizar os problemas futuros com os novos funcionários.

O processo de contratação passa por duas fases: recrutamento e seleção. recrutamento bem feito já pode servir como uma boa peneira para a seleção e as redes sociais podem ajudar muito nisso! O comportamento da pessoa on-line É um reflexo de seu comportamento off-line! O que se vê, nas redes sociais, porém, são os mais completos absurdos na fase de recrutamento! Veja aqui alguns exemplos <link>

Mas, se você contratou mal, ainda há tempo de correr atrás do prejuízo: treinamento. O problema é que muitos empresários pensam em não subsidiar o treinamento técnico de seus professores pensando que eles amanhã podem estar em outra empresa. Pensamento pequeno, não? E se você passou por essas duas etapas e ainda assim continua tendo problemas com funcionários, então, é chegada a hora de arcar com os custos de uma demissão. É o melhor que você faz para a sua empresa! Porém, antes de demitir um funcionário, certifique-se que o problema não vem da direção da empresa!

Agora, que tal planejar o próximo processo de recrutamento e seleção de seus funcionários?

 

 

Seleção por competências

Dentro de um mercado tão competitivo como o mercado fitness, as empresas têm que buscar sempre um diferencial competitivo. Instalações, equipamentos e tudo mais relacionado à aparência física da empresa é o mesmo que a maioria delas busca e acabam todas ficando em um mesmo patamar. Academia passa a ser commodity.

Um dos caminhos para se diferenciar no mercado e obter vantagem competitiva é explorar e desenvolver seus ativos intelectuais: os profissionais que atuam em sua empresa.

Tudo começa no processo de recrutamento e seleção de seus funcionários. Selecionar profissionais apenas mediante a competência técnica registrada nos currículos ou pelo “feeling” é certeza de problemas futuros. Um processo seletivo simplesmente baseado na análise curricular pode comprometer a produtividade e o desempenho de sua equipe. Por outro lado, um processo seletivo voltado para competências específicas minimiza esses problemas e garante longevidade e eficácia ao seu time. Essa seleção baseia-se no perfil traçado para cada função dentro da empresa de acordo com a estratégia de atuação da empresa. Claro que você não vai encontrar, ainda, o candidato perfeito; todos têm pontos fortes e fracos. O importante é minimizar os problemas no futuro.

Numa visão geral, competências podem ser definidas como um conjunto de conhecimentos, habilidades, atitudes, biografia e experiência profissional, traduzidas em um alto desempenho na função. Muitas vezes são variáveis intangíveis que precisam ser levadas em consideração. Ser competente tem a ver com ir além do saber fazer. É o modo como você faz para atingir resultados desejados. A concorrência acirrada faz com que o mercado exija cada vez mais das empresas e essas, dos seus empregados.

Nesse contexto, os gestores têm papel importantíssimo, a partir do momento em que são os agentes de mudança desse processo, implantando um sistema de recrutamento e seleção eficiente em suas empresas.

Alta rotatividade de funcionários pode onerar sua contabilidade

O ponto inicial deveria ser um recrutamento interno de profissionais para assumirem novas funções disponíveis na empresa. Isso agrega valor ao processo, na medida em que o colaborador se vê valorizado e tem a possibilidade de assumir novos cargos, desenvolvendo, assim, sua carreira profissional. A desvantagem é que a organização fica estagnada, sem novas ideias e sem uma renovação de seu quadro de funcionários. O segundo passo seria buscar, no mercado, novos profissionais.

Selecionar por competências é ter foco e ser objetivo na contratação de mão de obra qualificada. Assim, esse processo, por sua objetividade e eficácia, traz algumas vantagens:

  • escolher a pessoa que mais se adapta a cada função
  • identificar comportamentos futuros problemáticos
  • traçar um perfil comportamental de cada candidato
  • minimização de problemas comportamentais
  • economia de tempo e de dinheiro

A alta rotatividade de funcionários em uma empresa, além de prejudicar a produtividade da mesma, onera sua contabilidade, por conta de ações trabalhistas e indenizatórias, além do custo com novos recrutamentos e treinamentos. Alguns fatores estimulam essa rotatividade e as empresas fitness devem achar um meio de diminuir a saída regular de funcionários:

  • política salarial
  • política de benefícios
  • relacionamento patrão x empregado
  • condições de trabalho
  • ambiente organizacional
  • cultura organizacional
  • política de treinamento

Baixos índices de turnover (rotatividade) indicam uma empresa relativamente saudável do ponto de vista estratégico e isso pode ser atingido montando-se um processo de recrutamento e seleção qualificado e baseado no mapeamento de competências. O segundo passo é o treinamento constante de seus colaboradores. E, se nada disso der certo (o que é pouco provável), o terceiro passo é a demissão.

Como você recruta e seleciona os funcionários para a sua academia?

Vendas em Academias
Enviar